23:26  
     
      OFTALMOLOGIA
      Sintomas nos olhos, de olho nos olhos
  Oftalmologia na criança, no adulto e no sénior
  Identificação e tratamento de algumas das afecções dos olhos
OFTALMOLOGIA: COM A AJUDA DESTA FARMACIA

Na identificação e no tratamento de algumas das afecções dos olhos, o diálogo com a equipa da Farmácia deve estar na primeira linha. Se o olho estiver inchado ou vermelho, se sentir prurido ou ardor, venha à farmácia para conselho profissional adequado a sintomas como estes. Não aplique medicamentos por iniciativa própria: afinal, o olho é um órgão sensível. E, no limite, o que está em causa é a sua visão.

UM ÓRGÃO SENSÍVEL

O olho é um órgão sensível, vulnerável a lesões, agressões ambientais e agentes infecciosos. É também um órgão complexo: as suas estruturas internas são responsáveis pela visão, enquanto as externas possuem uma função protectora. Juntas, pálpebras, pestanas e lágrimas erguem uma barreira contra agressões, poeiras, fumos, vírus e bactérias. Porque é a visão que está em causa, é essencial proteger os olhos das diversas agressões – mantendo uma higiene adequada, prevenindo o trauma e evitando situações que os possam lesionar, como o excesso de radiação solar. Daí que o uso de óculos de sol com protecção ultravioleta seja fundamental, mesmo no Inverno, tanto para adultos como para crianças.

BARREIRA QUEBRADA

Das diversas ameaças à saúde dos olhos podem resultar sintomas que, apesar de ligeiros e considerados menores, requerem cuidados. Os mais comuns são:

“Olho vermelho” - É assim conhecida a conjuntivite, inflamação da conjuntiva, membrana que cobre a parte branca do olho; pode ser infecciosa (causada por uma bactéria ou um vírus), alérgica ou tóxica (causada por uma substância irritante). Vermelhidão, dor, inchaço, lacrimejar, comichão e sensação de areia no olho, a par da produção de muco, são os principais sintomas. O olho vermelho pode ainda resultar de uma ruptura dos pequenos vasos sanguíneos, mas em geral não é grave.

“Olho seco” – Deve-se a uma diminuição na produção de lágrimas ou a um desequilíbrio nas substâncias que compõem a camada lubrificante do olho, causando sintomas como sensação de areia no olho, comichão ou ardor, vermelhidão, fadiga ocular, sensibilidade à luz e por vezes visão nublada.

“Olho que chora” – Com lágrimas a escorrem pela face, mesmo sem choro, o que pode dever-se a uma produção aumentada de lágrimas ou a insuficiente drenagem, resultado de obstrução total ou parcial do canal naso-lacrimal.

Blefarite – Trata-se de uma inflamação das pálpebras, que ficam vermelhas, inchadas, com comichão, ardor e por vezes descamação.

Treçolho – infecção bacteriana em que a pálpebra fica inchada e desenvolve um nódulo mole e avermelhado que causa dor e inchaço. Pode aparecer tanto na pálpebra superior como na inferior, geralmente junto ao bordo.

GESTOS QUE ALIVIAM

Estes são sintomas ligeiros mas incómodos, que importa tratar e aliviar através da aplicação de compressas (de água morna ou fria), soro fisiológico, colírios ou pomadas oftálmicas. Aconselhe-se nesta farmácia. Porque se aplicam directamente no olho, e porque este é um órgão sensível, são produtos que requerem cuidados particulares na sua utilização.

Assim:

● Lave sempre as mãos antes e depois de cada aplicação
● Sejam gotas ou pomada, aplique de forma a que nem a ponta do conta-gotas nem o
   aplicador toquem no olho
● Depois de aplicado, mantenha o olho fechado durante algum tempo, para facilitar a absorção
● Nem o medicamento nem o aplicador devem ser partilhados com outras pessoas
● Se usar soro fisiológico, verifique se é uma solução estéril e de uso oftálmico
● Mantenha frascos e embalagens bem fechados
● Não guarde sobras, mesmo que ainda esteja dentro do prazo de validade
● Evite partilhar toalhas de rosto e almofadas
● Não leve as mãos aos olhos
● Evite maquilhagem enquanto os sintomas permanecerem e, quando a usar, retire-a
   sempre antes de dormir com a ajuda de produtos adequados aos olhos

Estas medidas e os produtos de aconselhamento farmacêutico são, geralmente, eficazes no tratamento destas afecções. Mas há situações que requerem consulta médica: quando os sintomas persistem e não melhoram ou quando há alterações no campo ou na acuidade visual.

VISÃO PARA ALÉM DA IDADE

As cataratas e a DMRI são patologias do olho comuns com o envelhecimento. Afectam a visão de uma forma que compromete a qualidade de vida, interferindo com as actividades do dia-a-dia. Por isso, não descure os sinais: esteja atento a qualquer alteração à sua visão. Nesta farmácia, encontra uma equipa habilitada a responder às suas dúvidas e a aconselhá-lo sobre a melhor forma de lidar com estas doenças.

DMRI - Sem visão central

A Degenerescência Macular Relacionada coma Idade (DMRI) é uma doença que afecta a mácula, a parte central da retina responsável pela nitidez, pela cor e pelos detalhes daquilo que se vê, e que usamos para ler, assinar um cheque, enfiar uma agulha ou mesmo reconhecer um rosto. À medida que a mácula se deteriora, os sintomas surgem. Há perda da visão central (ao perto e/ou ao longe), manchas no campo de visão, imagens pouco nítidas, sem detalhes, imagens distorcidas – linhas direitas parecem irregulares ou curvas, os objectos parecem mais próximos ou mais distantes do que estão e cores menos brilhantes e intensas.

Cataratas - Como lentes embaciadas

As cataratas tornama visão enevoada. Assim acontece porque, à medida que se envelhece, a lente dos olhos – o cristalino – vai ficando mais espessa e menos transparente, deixando entrar menos luz. As fibras que compõem o cristalino agregam-se, formando pequenas manchas que dificultama visão. São as cataratas. É lentamente e, em geral, sem dor que as cataratas se instalam. Não são visíveis alterações exteriores, mas os sintomas incomodam: visão enevoada; dificuldade em ver à noite; sensibilidade acrescida à luz e à claridade; cores menos definidas; halos à volta das luzes; necessidade de luz mais intensa para actividades como ler e ocasionalmente dupla visão num olho. A cirurgia é o único tratamento eficaz para as cataratas: o cristalino danificado é removido e substituído por uma lente artificial. A cirurgia é feita com anestesia local e a recuperação é rápida.

COMO PROTEGER OS OLHOS

1. Faça uma alimentação saudável, abundante em frutos e legumes verdes – fornecem
    vitaminas e sais minerais com acção antioxidante protectora dos olhos.
2. Não fume – o tabaco é prejudicial para os olhos pois aumenta o risco de cataratas e DMRI.
3. Use óculos de sol com protecção UV – a radiação ultravioleta é nociva para os olhos.
4. Vigie a saúde dos olhos regularmente – a Direcção Geral de Saúde recomenda, em termos
    gerais, visitas ao oftalmologista pelo menos de 4 em 4 anos a partir dos 46 anos. Estas
    consultas devem ser anuais caso tenha algum problema de visão.
5. A diabetes e a hipertensão devem estar controladas.
6. Se já tem cataratas, procure não forçar os olhos – use uma lupa para ler, aumente a
    potência das lâmpadas em casa, e evite conduzir à noite.


Farmácia MARISOL
Praceta Manuel Fevereiro Nº 1–F MARISOL
2820-382 CHARNECA DE CAPARICA
HOME | A FARMÁCIA | PRODUTOS | SERVIÇOS | CONTACTE-NOS
Copyright (C) 2012, FARMÁCIA MARISOL - Todos os direitos reservados. Website concebido por www.webzenite.net distribuido por www.tecniware.pt