23:28  
     
      SEGURANÇA NOS ANTIBIÓTICOS
      Saiba como utilizar este tipo de medicamentos
  OS ANTIBIÓTICOS SÃO MEDICAMENTOS A RESPEITAR
  Eis algumas perguntas e respostas acerca do que fazer
O uso de antibióticos está de tal modo generalizado que muitas pessoas não os tomam com as devidas precauções. De facto, a utilização em massa de antibióticos, se bem que tem sido essencial para debelar doenças por vezes graves, também criou bactérias resistentes e certas doenças cada vez mais necessitam de antibióticos diferentes, novos e mais potentes para serem debeladas.

ADULTOS E CRIANÇAS: Os antibióticos não são o "remédio milagroso" que cura qualquer doença.

O uso de antibióticos está de tal forma generalizado que, muitas vezes, são os próprios pais que sugerem o seu uso ao pediatra. E, no entanto, os antibióticos não são o "remédio milagroso" que cura qualquer doença. Os antibióticos são medicamentos cuja finalidade é eliminar as bactérias que invadem o nosso corpo. Eles ajudam as defesas naturais a combater a infecção. No entanto, e ao contrário do que muitos pais pensam, os antibióticos não servem para tratar todas as infecções. Até porque a maioria das doenças na criança não são provocadas por bactérias, mas sim por vírus, e os antibióticos não têm qualquer acção contra eles. Nos adultos é mais vulgar a utilização de antibióticos.

Por esta razão, em muitos casos, mesmo quando a criança parece mais doente, o médico não prescreve antibióticos se estiver na presença de uma infecção viral. Cada antibiótico é diferente de todos os outros. E cada antibiótico é mais eficaz para combater algumas bactérias, e menos potente em relação a outras. Para cada infecção, o médico, sabendo quais são as bactérias envolvidas, escolhe o antibiótico mais indicado. Esta escolha não tem nada a ver com o antibiótico ser dado uma, duas ou três vezes por dia, nem com o seu custo ou qualquer outro factor. É uma escolha que se baseia única e exclusivamente no antibiótico que será mais eficaz para combater as bactérias que estão, naquela criança e naquela altura, a provocar a infecção. A maioria dos antibióticos mais utilizados não apresenta efeitos indesejáveis com frequência. No entanto, alguns adultos e crianças podem ser alérgicas a alguns antibióticos. Isto é mais frequente com a penicilina ou os seus derivados do que com os outros antibióticos.

As alergias manifestam-se habitualmente por manchas na pele, tipo urticária, e surgem algum tempo após se ter iniciado o antibiótico. Nestes casos, o antibiótico deve ser parado e o doente novamente visto pelo médico. Nos adultos e crianças alérgicos à penicilina existem outros antibióticos que podem ser utilizados sem risco de alergias. Noutros casos, o antibiótico pode provocar dores de barriga, vómitos ou diarreia, que em nada ajudam a que se sinta melhor.

No entanto, um dos efeitos indesejáveis mais temido pelos médicos não tem a ver com alergias ou alterações intestinais e é provocado pelo uso frequente de antibióticos, como vamos ver em seguida. Mas, no nosso corpo, mesmo quando nos sentimos muito bem, existem muitas bactérias nas vias respiratórias (nariz, garganta) e nos intestinos. Nestes locais, algumas bactérias estão sempre presentes e não provocam qualquer doença. Inclusive têm até um papel protector, pois tentam impedir que outras bactérias (as que provocam doenças) se consigam instalar nestes locais. O nosso organismo vive assim em equilíbrio, tendo no seu interior algumas bactérias amigas. Esse é o caso, por exemplo, das bactérias que vivem no sistema digestivo.

A Farmácia Marisol compilou alguma perguntas e respostas essenciais para sua informação:

1 - PODEM SER TOMADOS SEM RECEITA MÉDICA?

Não podem. Para começar, o antibiótico é o medicamento indicado quando você foi infectado por uma bactéria. E só um médico consegue apontar se determinado problema foi mesmo causado por uma bactéria ou se é consequência do ataque de vírus e outros microorganismos, contra os quais nenhum antibiótico fará o menor efeito. Sem contar que algumas bactérias sucumbem depressa a certos remédios, mas resistem a outros. Ou seja, a figura do médico também é importante para se chegar ao antibiótico ideal para cada caso. Para completar, há outras variáveis. Por exemplo: a duração do tratamento costuma variar conforme o órgão afectado. Mais um motivo para ser bem orientado antes de tomar um antibiótico.

2 - PODE O MÉDICO PRESCREVER UM ANTIBIÓTICO SEM EXAMES APENAS
     PELO OLHO CLÍNICO?


Sim pode. Um médico experiente consegue, muitas vezes, acertar na escolha da substância somente com base numa boa avaliação, que inclui o exame físico, o relato dos sintomas, o histórico daquele indivíduo e as observações sobre seu estado de saúde geral. Mas, claro, ele sempre poderá solicitar exames complementares. Em casos assim, um exame funciona como prova dos nove, testando a reação da bactéria causadora daquela infecção a diversos antibióticos. O resultado acusa que remédio será o mais eficaz para derrotá-la.

3 - PODE UM ANTIBIÓTICO ELIMINAR TODO O TIPO DE BACTÉRIAS?

Não pode. Apesar de existirem muitos antibióticos de largo espectro, cada microorganismo é sensível a determinadas drogas e, ainda assim, para ser destruído vai exigir uma concentração e um período de tratamento específico. Moral da história: para cada bactéria, uma sentença.

4 - PODE TOMAR UM ANTIBIÓTICO SÓ COMO PREVENÇÃO ?

Muitas pessoas fazem esta pergunta, se podem tomar um antibiótico como prevenção logo nos primeiros sinais de uma dor de garganta, por exemplo? Não devem nem podem! Se a dor de garganta estiver sendo causada por um vírus – aliás como na maioria dos casos de dor de garganta – tomar um antibiótico será, no mínimo, ineficaz. Sem contar que o remédio usado indevidamente poderá abrir a brecha para a entrada de bactérias resistentes a medicamentos e bastante perigosas.

5 - PODE DEMORAR MAIS DE 24 HORAS PARA UM ANTIBIÓTICO COMEÇAR A
      FAZER EFEITO PRÁTICO?


Pode, sim. Alguns sintomas, como a febre, podem demorar até 72 horas para desaparecerem de vez. No entanto, é importante que, ao longo desse período, o doente já note pequenas melhorias, progressivas, na sensação de dor e mal-estar. Se nada estiver a melhorar, volte a conversar com o médico.

6 - UM ANTIBIÓTICO É EFICAZ CONTRA VÍRUS OU FUNGOS?

Não. A maior parte dos antibióticos é eficaz apenas contra bactérias e portanto só podem ser usados para combater infeções bacterianas. Claro que, em alguns casos, o médico pode receitar um antibiótico como terapia coadjuvante a tratamentos anti-víricos ou anti-fúngicos, de modo a eliminar infeções secundárias ou oportunistas de origem bacteriana.

QUANDO A CRIANÇA NECESSITA MESMO DE UM ANTIBIÓTICO

Quando a criança toma um antibiótico para combater uma infecção, por exemplo no ouvido, o medicamento vai matar as bactérias no ouvido, mas mata também muitas das bactérias das vias respiratórias e dos intestinos, eliminando assim uma defesa habitual do nosso corpo e deixando-o mais vulnerável ao ataque de outras bactérias.

Ou seja, o antibiótico mata as bactérias, estejam elas onde estiverem, sejam elas boas ou más. Por esta razão, algumas crianças, depois de tomarem um antibiótico para uma otite, surgem com problemas respiratórios ou uma gastroenterite. Outro aspecto muito importante tem a ver com a resistência das bactérias aos antibióticos. Se um antibiótico é utilizado muitas vezes, as bactérias do nosso corpo acabam por se tornar resistentes a ele. Isto significa que, nas infecções seguintes, tem de ser usado um antibiótico mais forte. No entanto, se este for utilizado muitas vezes, as bactérias acabam também por se tornar resistentes a ele, e assim sucessivamente. Com o tempo, deixa de haver antibióticos capazes de tratar qualquer infecção nessa criança.

Este é um assunto muito importante, pois devido ao exagero na utilização de antibióticos já existem hoje algumas infecções que são resistentes a todos os antibióticos que conhecemos. Se não houver uma utilização mais racional destes medicamentos, os médicos podem, num futuro próximo, ter muita dificuldade em conseguir controlar algumas infecções.

TOME ATENÇÃO AOS ANTIBIÓTICOS

● Não exija antibióticos quando um médico diz que eles não são necessários
● Não tome um antibiótico para uma infecção viral, como por exemplo uma constipação
● Não tome antibióticos prescritos para outra pessoa. O antibiótico pode não ser apropriado
   para si
● Tomar o remédio errado pode atrasar o tratamento correto e permitir que as
   bactérias se multiplicam

Se o seu médico prescreve um antibiótico para você ou para um dos seus filhos:

● Não salte doses
● Leve o tratamento até ao fim (salvo indicação em contrário do médico)
● Não guarde qualquer um dos antibióticos para a próxima vez
● Tome o medicamento nas horas, e do modo que o médico ou farmacêutico indicarem

Farmácia MARISOL
Praceta Manuel Fevereiro Nº 1–F MARISOL
2820-382 CHARNECA DE CAPARICA
HOME | A FARMÁCIA | PRODUTOS | SERVIÇOS | CONTACTE-NOS
Copyright (C) 2012, FARMÁCIA MARISOL - Todos os direitos reservados. Website concebido por www.webzenite.net distribuido por www.tecniware.pt